Um Setembro Amarelo

 

fotor_147386425186122-2

Esse mês me deparei com o Setembro Amarelo, mas o que é Setembro Amarelo?

Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, com o objetivo direto de alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção. Ocorre no mês de setembro, desde 2014, por meio de identificação de locais públicos e particulares com a cor amarela e ampla divulgação de informações.

Quando?

O movimento acontece durante todo o mês de setembro em todo o mundo. Há uma atenção especial no dia 10 de setembro, pois é o Dia Mundial de Prevenção do Suicídio, que neste ano caiu em um sábado.

Então ao longo desse mês estamos vendo e ainda veremos muitas postagens para ajudar e apoiar e quem sabe evitar o suicídio que é causado não apenas pela depressão.

As estatísticas são alarmantes: 

São 32 brasileiros mortos por dia, taxa superior às vítimas da AIDS e da maioria dos tipos de câncer. Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto e, por medo ou desconhecimento, não vêem os sinais de que uma pessoa próxima está com ideias suicidas.

Para ajudar é simples, converse com quem você acha que pode estar pensando em suicídio e se você que estiver lendo esse artigo estiver pensando algo ruim,estiver com problemas e precisar de uma ajuda ou ainda se não a quiser, pare um momento e ligue no 141.

Como saber se alguém pode estar pensando em se matar?

  • Tornar-se uma pessoa depressiva, melancólica (apresenta uma grande tristeza, desesperança e pessimismo, chora sistematicamente);
  • Falar muito acerca da morte, suicídio ou de que não há razões para viver, utilizando expressões verbais tais como “Não aguento mais”, “Já nada importa”, ou “Estou a pensar acabar com tudo”;
  • Preparativos para a morte: pôr os assuntos em ordem, desfazer-se/oferecer objetos ou bens pessoais valiosos, fazer despedidas ou dizer adeus como se não voltasse a ser visto;
  • Demonstrar uma mudança acentuada de comportamento, atitudes e aparência;
  • Ter comportamentos de risco, marcada impulsividade e agressividade;
  • Aumento do consumo de álcool, droga ou fármacos;
  • Afastamento ou isolamento social;
  • Insónia persistente, ansiedade ou angústia permanente;
  • Apatia pouco usual, letargia, falta de apetite;
  • Dificuldades de relacionamento e integração na família ou no grupo;
  • Insucesso escolar (por exemplo, quando antes era aluno interessado);
  • Auto-mutilação.

O suicídio raramente é uma decisão repentina, apesar de amigos e familiares conceberem esse acontecimento como algo completamente inesperado, surpreendente ou até chocante. Na maioria dos casos, o suicídio é algo planeado – a pessoa constrói um plano, estabelece uma data, define um método e pensa nessa possibilidade ao longo de algum tempo, antes de tomar uma decisão definitiva.

O ator de Supernatural Jarde Padalecki teve depressão á algum tempo e hoje faz campanha e conversa com fãs e internautas buscando ajudar quem passa pelo mesmo ;

14225384_576056815933251_404098237150238442_n

Jared confessou em entrevista a Variety que precisou combater um estado de depressão clínica ainda durante os primeiros anos de gravação do programa.

Padalecki está fazendo campanha para a fundação To Write Love on Her Arms, que ajuda pessoas que sofrem com depressão, vícios e pensamentos suicidas. Uma camiseta com a imagem do ator, com os dizeres “Continue sempre lutando” está sendo vendida em prol da campanha, e o astro revelou como foi sua luta com a depressão:

“Eu digo sempre que não há vergonha nenhuma em lidar com essas coisas”, disse o ator sobre a necessidade de erguer a cabeça e lutar. “Você pode não ganhar todas as batalhas. Pode haver vários momentos difíceis em apenas um dia, mas espero que isso ajude alguém a pensar: ‘Isso não é fácil, é uma luta, mas eu vou para continuar lutando’”,

“Mesmo que haja milhares de pequenas lutas, mesmo que a cada minuto você esteja pensando em suicídio, ou depressão, ou vício, ou se você tem doença mental; eu quero que as pessoas sigam em frente e lutem. E que tenham orgulho de que eles estão ganhando essa luta”.

Agora quero falar sobre o que vivi e passei sobre isso, minha experiência própria:

Minha depressão começou a muitos anos atrás, há 17 anos, um menino que eu amava profundamente foi embora e isso desencadeou tudo, lembro com detalhes da dor que senti porque sim, foi uma dor física e forte eu mal conseguia respirar;

Nos dias que se seguiram chorei muito, todos os dias, pedi a Deus para me levar embora, para me deixar morrer ou que trouxesse ele de volta porque a dor era insuportável, de verdade, o peito doia, o coração parecia que ia parar, sentia desespero puro.

Minha família parecia não saber de nada, eles não viram nada e eu me lembro de me trancar no quarto e chorar e das muitas vezes rezar para alguém entrar e me ajudar, querer saber como eu estava, porque eu chorava mas só ouvia na sala risadas e a tv ligada.

Então eu pensei em me matar, sim, pensei muitas e muitas vezes, desejei e planejei me matar, pesquisei venenos, modos, como, pensei em uma carta que deixaria para meu pais, fiquei imaginando como seria quando me encontrassem morta.

Mesmo assim em meio a isso eu imprimia correntes, dessas que circulavam nos email antigamente falando que se você imprimisse tantas folhas e distribuísse aquele milagre iria acontecer e óbvio, eu pedia para ele voltar;

Então fui a uma igreja do bairro que eu costumava ir, entrava lá apenas para ficar em silêncio, sentia paz lá, não sei porque, então entrei lá para distribuir e vi uma mulher sentada e ela me perguntou que papeis eram aqueles e falei para ela, de-repente estava contando tudo para ela e descobri que ela era psicóloga e espirita, contei tudo até mesmo de que eu ia me matar e ela ofereceu sua ajuda e assim, fui ajudada e aqui estou eu.

Pensem o que quiserem, para mim, apenas não era minha hora e me senti amparada naquela hora, talvez aquele fosse o sinal que estava buscando, talvez coincidência apenas, quem sabe.

Eu melhorei mas mesmo assim a depressão era forte e minha terapeuta me encaminhou para outra profissional, ao todo passei por 4 mas elas nunca me ajudaram, nunca quiseram curar minha depressão porque para elas eu não me esforçava, para elas eu até gostava da situação em que me encontro.

Assim foram 17 anos da minha vida, tenho um tipo de depressão chamado Distimia, costumo dizer que é pior que a morte porque você morre estando viva.

Você perde amigos, perde anos, perde sua vida porque fica incapacitada mesmo podendo fazer tudo, andar, correr, ouvir, comer, dançar…para os outros você está bem, sim, para os outros você só está reclamando, fazendo mimimi, sendo chata;

Tem quem diga que você não tem depressão, que você …enfim, a maioria ainda não entende e não sabe.

Eu luto todos os dias, luto para conseguir sair desse estado de letargia em que me encontro;

É como estar dormindo e sonhando sem poder fazer nada, um pesadelo do qual você não acorda,

Todos os dias eu penso em agonia como sair disso, como me ajudar, fico angustiada vendo o tempo passar, o tempo acabar e eu não fazer nada e me culpo até;

Me culpo porque foram muitos a minha volta dizendo que a culpa por eu estar assim é minha, que eu escolhi e escolho estar com depressão e, o que dizer frente a isso?

Me entristeço hoje, fico triste quando me falam isso porque essas pessoas não entendem e assim não podem entender e assim ajudar.

Espero que essa campanha atinja um grande numero de pessoas, que os outros se conscientizem e entendam a gravidade da situação e dessa doença e parem de tratar depressão como frescura.

Pessoas que se matam parecem normais, as pessoas as definem como tímidas, fechadas e caladas.

Ontem mesmo no ônibus ouvi uma mulher comentando que conhece uma menina tímida e que tem que ficar puxando assunto com ela e a outra retruca dizendo que a menina é chata mesmo.

Para a maioria timidez é defeito, é errado e não uma característica e a grande maioria nem mesmo se esforça para fazer amizade com tais pessoas, se afastam, fogem, passei isso toda a minha vida, sofri Bullying e até hoje levo feridas na alma onde algumas nem conseguiram cicatrizar ainda.

Á algumas semanas atrás li uma matéria de uma menina que se matou por conta de ter sofrido bullying, você consegue imaginar o que ela sofreu e passou para chegar a esse ponto? a esse extremo?

Não ignore as pessoas fechadas e caladas, elas podem estar pedindo socorro silenciosamente mas se olhar nos olhos delas você vai enxergar, basta observar melhor, parar em meio a correria do dia e perceber as pessoas a sua volta de verdade.

Tem gente pedindo socorro todos os dias e quando não são ouvidas elas podem morrer ou pior,se matar.

Ajude e mude essa história, mude as estatísticas.

E se você estiver passando por alguma dificuldade, estiver triste, se tudo parecer difícil demais, se sua dor parecer insuportável por favor, converse comigo, me procure, eu vou estar aqui, posso oferecer meu ombro e meu carinho quando quiser e precisar.

2 Conversas em “Um Setembro Amarelo

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *