Louca Mente…

marga
Depois de um incidente onde um co-piloto derrubou um avião muitos foi-se falado e foi apontado como principal motivo ele ter depressão…
Bem, vamos esclarecer algumas coisas:
Primeiramente deixe eu me apresentar, meu nome é Fernanda Maria, tenho 33 anos e tenho distimia um tipo de depressão pouco conhecido.
Eu a tenho a mais de 17 anos, nem me lembro quando começou exatamente, poderia falar que começou quando alguém que eu amava foi embora mesmo que ele jamais tenha sabido de meus sentimentos, mesmo que nunca tenha acontecido nada entre nós e mesmo que na época eu fosse uma adolescente.
Talvez tenha sido o gatilho, a única coisa que sei é que a dor fora forte demais para suportar, pensei em me matar, quis morrer muitas e muitas vezes, a dor era insuportável, sentia até falta de ar, chorei muitos dias sem que minha família sequer desconfiasse de meu estado;
Entrei em depressão profunda, perdi a vontade de viver completamente, nada mais me dava alegria ou prazer, era como se tivessem arrancado minha alma ou um pedaço meu, algo tinha se quebrado por dentro, eu não queria mais viver, não via motivo…
Desde então sei que tenho depressão, fui a psicólogos sim, ao todo foram 3 mas elas queriam apenas tratar, não curar sempre falando que deveria ter um emprego e que isso ajudaria.
Fui aprender a rotina de escritório com o meu pai, aprendi tudo e aprendi que não é bom trabalhar com família, depois tentei arranjar emprego sim mesmo não tendo vontade alguma sabia que precisava trabalhar além claro da frequente cobrança de todos, como se um emprego fosse a solução de todos os problemas.
Muita coisa aconteceu, tive paixonites mas nada sério, sempre fui muito tímida e quando criança tinha medo de meninos pois eles me perseguiram, me beliscavam, até bateram uma vez, um deles passava a mão em mim para me humilhar e conseguiu, quando pedi ajuda a professora ela brigou comigo e quase me pôs para fora da sala…outro achava engraçado me empurrar contra a carteira quase me sufocando e sim, machucando e outro adorava me beliscar…um deles o que mais me perseguiu um dia conseguiu me trancar dentro da sala de aula durante o recreio e me ofendeu muito, humilhou, falou de meu seios, que eram grandes demais e feios, me ofendeu de todas as maneiras possíveis e a minha sorte foi que ele foi pego e depois disso nunca mais o vi mas, o estrago fora feito, fiquei traumatizada e com medo de meninos e mais tarde de homens…um dia ao procurar emprego um homem ofereceu ajuda, no dia seguinte ele inventa uma história para poder passar a mão em mim,me constranger, tentou me beijar, se esfregou em mim, fiquei ainda mais traumatizada claro e com mais medo dos homens;
Eu demorei muitos anos até entrar numa loja que tinha homem como atendente, eu simplesmente não entrava mesmo na companhia de minha mãe, demorei anos a não tremer perto de um homem, a não passar mal, demorei para conseguir olhar nos olhos de um homem, eu tive sorte pois tive um amigo que era um anjo da guarda, ele me ajudou a vencer meu medo, me ajudou a olhar nos olhos, ele foi a primeira pessoa no mundo a me abraçar, todos os dias ele vinha e me abraçava, ele me ajudou demais, me deu carinho, afeto verdadeiro, algo que eu não tinha tido ou sentido antes ainda mais perto de um homem…
Eu vivo como se estivesse dormindo a maior parte do tempo numa espécie de sonho ou pesadelo, me sinto cansada, sem forças para nada, um cansaço intenso como se tivessem tirado todas as minhas forças.
Não sinto mais vontade de nada, nem do que antes eu gostava, vivo num estado de apatia permanente e pior, tem aumentado, tenho sentido menos, me importado menos, tenho pensamentos ruins,sinto raiva, muita raiva, fico nervosa a maior parte do tempo…
Depression-treatment
Ao mesmo tempo que quero ficar bem quando penso em fazer amizade, ter uma vida como a de outras pessoas que gosto e admiro eu penso simplesmente “Nãoooooo não quero isso” e chego a passar mal tanto asco, tanta falta de vontade e não querer, namorar, beijar alguém, trabalhar tudo isso me faz passar mal, não gosto, não quero nada disso e é um sentimento contraditório por que muitas vezes eu sinto falta de ter amigos, de me apaixonar…nossa, eu nem sei como é ser amada por alguém.
Fiquei em casa quase sem fazer nada por 15 anos, nunca fiz faculdade ou inglês e tenho quase nenhuma experiência o que dificulta ser contratada, as pessoas pensam que eu não me esforço, que eu gosto de ficar em casa, que minha vida é boa…
A maioria acredita que quem tem depressão não tem nada de tão grave assim, são pessoas frescas, que não se esforçam para nada, que reclamam de tudo, que são negativas e chatas.
Elas sequer imaginam e eu não desejo isso para ninguém…
Depressão é uma doença invisível que acaba com a nossa vida de dentro pra fora e as pessoas só vão perceber que o outro a tem quando já for tarde demais e a depressão tiver tomado toda a sua vida e seu ser.
Tem todas essas vozes dentro e fora de mim,dizendo “você não vai conseguir,você é uma porcaria de um ser humano, desista”.
Mas eu não posso desistir agora, não mais, eu já quis mas, não posso e não vou desistir  por que Deus ou o nome que você queira dar me disse;
Que tem uma luz dentro de mim que estou deixando ela se apagar, que estou deixando os outros, as outras vozes vencerem;
Por que essa luz sou eu, é a minha vida, vai além do corpo e da alma, é vida, é amor, é luz e não posso deixar ela se apagar, existe uma necessidade de se fazer ver, de deixar essa luz brilhar forte como um farol, de não desistir então eu não posso desistir, não mais.
E depois dessa devo parecer uma maluca religiosa ok ok…posso ser psicopata vai saber …
A depressão prejudica não apenas seu estado mental como psicológico,físico e moral, as pessoas não entendem, por que, se você trabalha, ri, está andan
do então as pessoas acham que você está bem, se você sai, vai viajar, compra roupas, tira fotos, para eles você está bem e pronto;

A depressão é uma doença caracterizada por tristeza, perda de interessa ou prazer, sentimento de culpa, baixa autoestima, problemas para dormir, perda de apetite, cansaço e dificuldade de concentração. É diferente da tristeza passageira que pode surgir no dia a dia e, principalmente quando dura um longo período com intensidade moderada ou severa, a depressão pode se tornar um sério problema de saúde e afetar a rotina de trabalho ou escolar e o relacionamento com a família.
Para entender melhor;
Existem tipos de depressão e sim, isso dificulta ainda mais, os tipos são:

  1. Depressão pós-parto: surge após o parto e gera sintomas como tristeza, irritabilidade ou rejeição do bebê;
  2. Depressão major: apresenta 5 sintomas característicos da depressão, durante mais de 2 semanas, que comprometem as atividades diárias do indivíduo;
  3. Depressão bipolar: caracteriza-se por mudanças constantes no humor dos indivíduos, variando entre depressão profunda e alegria excessiva;
  4. Depressão reativa: surge após um acontecimento estressante, como morte de um familiar, e para o qual o indivíduo não consegue reagir;
  5. Distimia: presença de vários sintomas típicos de depressão durante mais de 2 anos, sendo o principal a tristeza constante;
  6. Depressão atípica: apresenta sintomas contrários aos da depressão normal, tendo os pacientes maior necessidade de dormir, comer ou ter contato íntimo;
  7. Distúrbio afetivo sazonal: episódios de depressão anuais, principalmente quando há mudanças de estações, devido à falta de sol, e tem como sintomas fadiga, tendência a comer muito doce e sonolência;
  8. Síndrome pré-menstrual: presença de pelo menos 5 dos sintomas comuns da depressão durante o ciclo menstrual, piorando na semana anterior à menstruação;
  9. Depressão psicótica: além dos sintomas de depressão, podem aparecer delírios e alucinações.

O meu tipo é a Distimia, pouco conhecida e difícil de se diagnosticar e muitos a tem poucos sabem ou conhecem, é um tipo de depressão que dura anos e destróis sua vida aos poucos, acaba com relacionamentos, trabalho, vamos ficando cada vez mais apáticos e sem vontade.
Para mim a depressão é uma luta que travo diariamente dentro de mim, é angustiante e sufocante, algo que não cabe em mim e por isso já quis me matar, já desejei morrer por que é insuportável viver assim diariamente e sei que dificilmente alguém vai entender como é desesperador ver sua vida se acabando, você deixando de viver, você morre aos poucos, lentamente todos os dias e não consegue, não pode fazer nada por que essa doença é maior que a sua vontade e para entender melhor procurei algumas pessoas para saber como  a depressão afeta a vida delas e como elas se sentem:

Depression-Anxiety-Discover-Three-Powerful-Drug-Free-Ways-that-Help-Thousands-Naturally

Viviane Cordeiro
A quanto tempo tem depressão?
Tenho depressão desde criança
Quando começou e por que?
Acho que isso tudo começou no ventre da minha mãe.
Toma remédios? desde quando?
Não me adaptei a medicamentos
Se trata com psicólogo? a quanto tempo?
Vou ao psicólogo uma vez por semana
Como os familiares reagiram ao saber de sua doença?
Meus familiares não sabem lidar com a depressão e não acham que é doença
E os amigos? lha ajudam ou se afastaram?
Não tenho tantas amizades e os amigos afastaram
Trabalha? namora? No momento estou desempregada,mais curso a 2 faculdade,Tenho dificuldade em arrumar namorados,sempre tive.
Enfrenta preconceito da parte das pessoas? e no trabalho?
Quanto ao preconceito das pessoas sempre fui vitimizada e no trabalho tb.Mas tento separar as coisas
É mais difícil encontrar emprego por causa da depressão?
Acho que a depressão dificulta para encontrar emprego,mas não impede,uma vez que depende do grau dela
Como se sente? conte-me sobre sua doença.
Me sinto perdida,insatisfeita,mas temente a Deus.O que mais me entristece é a solidão….


Dayane

A quanto tempo tem depressão?
Diagnosticada pela psiquiatra a 1 ano e meio, mas desconfiava desde os 14 anos (hoje tenho 21)

Quando começou e por que?
Minha mãe tem e tive muitos problemas familiares na infância,
o estopim foi foi a separação dos meus pais e crise no meu casamento ano passado (fevereiro/2014)

Toma remédios? desde quando?
Sim, tomo Alenthus a 1 ano e meio. Nesse período tentei amato, carbolitium e agora Pondera, para potencializar o efeito.

Se trata com psicólogo? a quanto tempo?
Sim, faço terapia a 3 meses.

Como os familiares reagiram ao saber de sua doença?
Muitos acham que é frescura, outros falta de religião.

E os amigos? lha ajudam ou se afastaram?
Alguns se aproximaram mais e outros são indiferentes, também acham que tenho porque quero.

Trabalha? namora? Trabalho a 4 anos em laboratório, antes trabalhava em loja. Namorei e fui casada por 7 anos, estou separada a 8meses e não consigo “achar”
outra pessoa.

Enfrenta preconceito da parte das pessoas? e no trabalho?
Acho que preconceito não, mas sempre tem as brincadeirinhas de viver em médico, terapia, tomar muitas medicações…

É mais difícil encontrar emprego por causa da depressão?
Tentei mudar de setor varias vezes, não consigo lidar com mudança de rotina.

Como se sente? conte-me sobre sua doença.
Ás vezes acho que é invenção da minha cabeça, outras que preciso de mais medicamentos. Vivo dia por dia, não posso fazer planos porque não sei
como vou amanhecer, feliz e sorridente ou sem a menor vontade de sair da cama. Hoje tudo que eu faço é com objetivo de fazer o melhor para meus
filhos, já tentei suicídio, é um pensamento recorrente, mas hoje digo que vivo por eles,não tem outro motivo.

Nando Rodrigues

A quanto tempo tem depressão?
Tenho Distimia a uns 12 anos e algumas vezes entrei em depressão resultando em um quadro de depressão dupla

Quando começou e por que?
Sempre fui uma criança muito quieta, não tinha relacionamento com outras crianças e era sozinho

Toma remédios? desde quando?
Sim, Paroxetina 20 mg. Faz uns 4 anos

Se trata com psicólogo? a quanto tempo?
Tentei, mas não ajudou muito

Como os familiares reagiram ao saber de sua doença?
Acham bobagem, coisa da minha cabeça e bla, bla, bla…

E os amigos? lhe ajudam ou se afastaram?
não tenho muitos amigos, mantemos uma certa distancia, apesar de muitos desejarem me ver e sair

Trabalha? namora?
No momento não trabalho, mas estudo engenharia e não tenho namorada

Enfrenta preconceito da parte das pessoas? e no trabalho?
Sim, porque sou mais reservado e pareço ser muitooooo serio…acham que sou chato, arrogante,metido, do mal…kkkk

É mais difícil encontrar emprego por causa da depressão?
Como se sente? conte-me sobre sua doença.
Participar de processos seletivos é um pouco difícil, por tentar demonstrar ser alguém que não sou. Como alguém feliz, completo e realizado

Vitor Goede

A quanto tempo tem depressão?Apresentava sinais de que alguma coisa não ia bem desde os 7-8 anos. Aos 11 tinha certeza de que possuía alguma espécie de depressão. Aos 21 tive o diagnostico de distimia, olhando para o passado creio que convivo com a doença a aproximadamente 10 anos

Quando começou e por que?
Minha família possui um longo histórico quando o assunto é depressão, desde tataravós até a geração atual
Desde pequeno aos 8 anos eu era uma pessoa que se irritava e magoava fácil, não conseguia fazer amigos, não brincava com as outras crianças, vivia isolado. Minha mãe possuía depressão grave, e havia tentado suicídio várias vezes, já aos 14 tive de lutar contra ela para retirar facas ou medicamentos dela quando ameaçava cometer suicídio, sem contar os surtos e as vezes tinha de lidar com isso sozinho. Além disso, na época da escola sofri muito bullying, por ser tímido, atrapalhado, quieto, esquisito. Sofria todos os dias em casa e fora dela, era motivo de piada e chacotas para todos, ninguém me respeitava, as vezes até a doença de minha mãe virava motivo de piada onde eu era o filho de uma louca. Meu pai sempre foi uma boa pessoa mas ausente. Creio que o que levou ao desenvolvimento da enfermidade foi uma combinação de fatores genéticos e o ambiente onde cresci

Toma remédios? desde quando?
Tomo Sertralina e Cloridato de Trazodona a mais ou menos 8 meses desde quando iniciei tratamento psiquiátrico

Se trata com psicólogo? a quanto tempo?Sim. Fiz tratamento dos 11 até os 12 anos, depois dos 17 aos 18 e agora retomei junto no mesmo instante que iniciei o tratamento psiquiátrico
Como os familiares reagiram ao saber de sua doença?
Poucas pessoas sabem sobre minha doença, meu pai ficou extremamente preocupado e ele foi quem me auxiliou a procurar ajuda no momento mais critico onde não conseguia esconder de mais ninguém, ele ficou realmente preocupado com a noticia, mas ele sabia que isso iria acontecer já que ele passou pelas mesmas coisas que eu e me tratou muito bem dando muita atenção. Minha mãe praticamente surtou como se o mundo fosse acabar nas primeiras horas, depois disso praticamente esqueceu que tenho depressão.

E os amigos? lhe ajudam ou se afastaram?
Contei apenas para os amigos mais próximos a maioria ficou assustados até mesmo meu melhor amigo, alguns me julgaram pois o preconceito é uma benção, mas não foi um choque para a maioria pois já me conheciam a certo tempo e sabiam que eu possuía algum problema psicológico. Na verdade eu me afastei daqueles que não me faziam bem, e os verdadeiros me ajudaram de alguma forma

Trabalha? namora? No momento sou graduando em Meteorologia e estou no meu quinto semestre de curso. Também faço parte de dois projetos de pesquisa onde trabalho meio período.
Enfrenta preconceito da parte das pessoas? e no trabalho?
Enfrento com frequência, a maioria trata o assunto como besteira e que tudo isso se resolve de maneira fácil, outros até chegam a tentar me fazer sentir inferior com isso. No trabalho tenho contato com poucas pessoas, e apesar de uns casos a parte a maioria nem sabe muito do assunto e nem comenta sobre isso.

É mais difícil encontrar emprego por causa da depressão?
Acho que sim, além do preconceito a depressão afeta nossa disposição de correr atrás das coisas e nada parece nos agradar, tudo é mais pesado para pessoas como nós, consequentemente a tarefa de obter um emprego se torna extremamente dura

Como se sente? conte-me sobre sua doença.
Em todos esses anos, sinto como se a vida não tivesse sentido e que valesse a pena vive-lá, todos os dias para mim são cinzas e tristes. Sinto como se carregasse uma bomba dentro de mim cheia de emoções como ódio, tristeza, melancolia e raiva. Sinto que a cada dia estou simplesmente me arrastando nesse mundo nojento em uma vida sem sentido, vagando sem rumo, cansado, apenas perpetuando o sofrimento e dor até o fim chegar.

Abaixo temos Lenise M. Resende que escreveu um livro sobre a Distimia muito interessante, aqui uma pequena entrevista dela sobre seu livro e sua doença;

11208675_872810096099206_2790908297239531960_n

Entrevista com a escritora Lenise M. Resende sobre Distimia:
1- Como você descobriu que estava com distimia?
Resp. – Após a perda de um filho fiquei muito deprimida e comecei a fazer tratamento psiquiátrico e psicanalítico. Mas só depois de uns dez anos fiquei sabendo sobre a distimia.

2- Quais foram as barreiras enfrentadas ao perceber?
Resp. – O maior obstáculo sempre foi a idealização suicida, a falta de vontade de continuar viva.

3- Após a descoberta da distimia você teve alguma mudança de hábito?
Resp. – A mais marcante foi ter deixado de comparecer as festas da família, inclusive o Natal.

4- Como você era antes da distimia?
Resp. – Uma versão magra do que sou hoje.

5- Como está agora após descobrir que tem distimia? Por que é difícil perceber que está com distimia?Resp. – Saber que temos uma doença crônica ajuda a persistir no tratamento. É difícil perceber que uma pessoa está com distimia porque é uma doença que ainda não é bem conhecida.
6- Pesquisas afirmam que um dos sintomas da distimia é o mau humor. Você se considera um pessoa mal-humorada?
Resp. – Tenho um humor deprimido, e prefiro observar mais do que falar. Mas o fato de estar séria não significa estar mal-humorada. E, em geral, isto fica perceptível quando relato certas situações, que vivi ou presenciei, sob uma ótica divertida.

7- O que você pensa a respeito de “vou sorrir só para agradar uma pessoa” ?
Resp. – Em algumas situações é melhor dar um sorriso triste do que uma resposta grosseira.

Trecho de entrevista com a escritora Lenise M. Resende, feita por Viviane A. da Silva, estudante de jornalismo, matéria para uma atividade da Universidade Metodista de São Paulo. (21/10/2014)
Para maiores informações bem como adquirir o livro acesse sua pagina no facebook https://www.facebook.com/DistimiaLivro
Como vocês leram e podem perceber, todos tem em comum o tempo que tem Distimia/Depressão ou seja, a maioria a mais de 8 anos e como isso afeta totalmente suas vidas e relacionamentos assim como trabalho.
O apoio dos amigos e família é fundamental e essencial para o tratamento e melhora de pessoas com depressão, sem isso fica quase impossível de se melhorar ou obter e acura e sim, depressão tem cura.
Uma outra cosia que percebi ao ler os depoimentos é que a maioria tem se tratado de forma errada, tem sido mal orientadas, não se enganem, psicólogo é como médico, tem os bons e os maus, não é por que me trato com um que vou melhorar imediatamente e o mesmo vale para os psiquiatras, a depressão deve ser tratada em conjunto sempre o tempo máximo para se tomar remédio é de 6 meses, não se pode ultrapassar esse tempo, o remédio não é muleta é uma ajuda temporária para que a pessoa consiga reagir pois na depressão por mais que se queira não conseguimos reagir.
Minha família frequentemente me fala para eu me esforçar mais, fazer um curso, fazer algum  exercício, procurar com mias afinco emprego, sair de casa enfim sem entender que por mais que eu saiba que preciso eu simplesmente não consigo, é mais forte do que eu…por que aos poucos a depressão foi tomando tudo de mim, as minhas vontades, meus sonhos, meu querer, meu sorriso e minha saúde física por fim, pelo tempo que fiquei em casa parada ganhei peso, com isso torci o pé duas vezes e na segunda vez rompi dois ligamentos e meu pé jamais voltará a ser como era antes da torção, nunca poderei usar salto, sapatilha, só calçados retos…e em uma dessas ainda cai na escada de bunda mesmo e na hora não pensei ser nada mas depois que senti fortes dores na coluna e fui obrigada a largar a academia de vez, fui ao médico e ele me disse que, tive um pequeno derrame, tenho escoliose, duas hérnias, artrose degenerativa que segundo ele não teria aparecido se não tivesse caído e ganhado peso e hiper lordose causada pelo excesso de peso …
Vocês podem falar simplesmente que é por que sou sedentária mas o fato é que, a depressão está levando embora minha saúde física e eu posso morrer sim mas pior, bem lentamente e sofrendo.
Eu não desejo isso nem para o pior inimigo por que sinceramente, é o pior tipo de doença, de vida, de tortura que se pode ter na vida é uma tortura sem fim e diária.
Nós não escolhemos ter depressão nem a distimia, ela acontece por uma série de fatores inclusive genéticos ou orgânicos, pode ser causada por falta de serotonina no hipocampo no cérebro que é menor em pessoas com depressão portanto;
Depressão é uma doença física não apenas mental ou psicológica pode e mata pessoas no mundo todo diariamente sem que outros tomem conhecimento.
Hoje eu sei que o remédio é necessário e sim, causa dependência, tem reações adversar e desagradáveis mas é necessário para que me ajude a reagir e por isso mesmo o tempo é muito importante, jamais se deve ultrapassar os seis meses isso é perigoso e pode piorar o estado ao invés de ajudar e sempre deve-se tomar os remédios em conjunto com terapia com um psicólogo e se, não estiver dando certo procure outro e outro até que algum os ajude, pois eu não vou desistir e não vou aceitar viver dessa forma.
Existem bons e maus psicólogos, eu encontrei apenas os maus, encontrei psiquiatras que queriam me dar remédios  sem saber direito o que tinha, psicólogos que acharam que deveria conviver com a depressão e não a curar então, não devemos nos entregar por mais que a depressão seja forte, por mais que nos falte força temos que viver da melhor forma possível e eu me recuso a deixar que essa doença me tire mais um ano de minha vida, me impeça de viver mais e mais, quero ter vontade de viver, preciso disso, não se deixem entregar…
A depressão ainda hoje não tem um tratamento efetivo nem um remédio realmente eficaz dependemos de achar um bom psicólogo e um bom psiquiatra que saiba qual remédio vai ser melhor para nós e isso é muito mais difícil e complicado do que se pode pensar ou imaginar, é pior do que para se tratar uma doença comum por exemplo.
Abaixo um texto sobre a Distimia escrito por uma psicóloga que atende em Casca- Rio Grande do Sul e em Passo Fundo, caso se interesse acesse sua pagina no Facebook e converse com ela https://www.facebook.com/pages/Psicóloga-Janaina-Mariuzzi/823250937740389
Conheça um pouco mais sobre a Distimia.
10917115_846930112020210_4391920264928818931_n
Janaina Mariuzzi – Psicóloga

CRP 07/23879 Contato: (54) 96468244 – janamariuzzi@hotmail.com
Mau humor na maior parte do dia. Irritação constante. Insatisfação com a vida. Pensamentos negativos sobre si mesmo, o mundo e o futuro. Elevado senso de autocrítica. Reclamações constantes sobre a maioria das situações. Pessimismo. Temperamento difícil. Você se identificou ou conhece alguém assim? Saiba que esses sintomas podem indicar que você ou alguém que você conheça possuem o Transtorno Distímico.
Essa doença caracteriza-se principalmente pela irritação e mau humor constantes. Trata-se de um transtorno crônico que necessita de tratamento medicamentoso, bem como de psicoterapia. Os medicamentos irão corrigir o distúrbio biológico e a psicoterapia irá ajudar o paciente a aprender novas formas de pensar e se comportar. Por isso, para um bom prognóstico é de extrema importância a combinação de ambos, pois isoladamente, tanto a psicoterapia quanto o tratamento medicamentoso não funcionam tão bem quanto a combinação dos dois.
Porém, é importante frisar que existem outros sintomas além dos citados anteriormente, como: sentimentos de tristeza e desânimo, alterações do apetite e sono, isolamento social, baixa autoestima, falta de energia e tendência ao uso de drogas lícitas ou ilícitas. Não necessariamente todos esses sintomas deverão estar presentes, mas muitos são comuns.
É de extrema importância que seja constatado este diagnóstico apenas se os sintomas predominarem durante o período mínimo de DOIS ANOS CONSECUTIVOS, durante a maior parte do dia, na maioria dos dias.
A maioria dos distímicos não reconhecem os sintomas como um problema. Acham que o mau humor, a falta de prazer e interesse pelas coisas fazem parte de suas características pessoais e de personalidade, assim, quase nunca procuram ajuda. Os que sofrem de Distimia desde a infância ou adolescência tendem a acreditar que esse estado
faz parte do seu jeito de ser, sem considerar o quadro como um estado patológico. Por isso, preste muita atenção a todos esses sintomas e, se realmente achar que você ou alguém que você conheça está com essa doença, procure um psiquiatra ou psicólogo ou incentive a pessoa a procurar ajuda.
E se você soubesse que um abraço seu, uma palavra de incentivo, que a sua amizade pode ajudar a curar uma pessoa? você simplesmente ignoraria ?
Por que muitas vezes as pessoas se afastam por achar pessoas depressivas chatas e reclamonas sem saber que sua amizade e carinho é justamente o remédio de que tanto precisam…
Por que se desistirmos agora, que chance teremos?
Que chance outros terão?
Gostou? tem alguma duvida,critica ou sugestão? comente, diga o que pensa.

Relacionado...

8 Conversas em “Louca Mente…

  1. Então… Conheço algumas pessoas com depressão, o que posso te dizer é que siga sempre em frente… Continue com psicólogos, procure amigos, faça uma lista de coisas que te proporcionam momentos felizes e procure fazer essas coisas com mais frequencia… Ame… Abrace… Não pense que pq VC encontrou algumas pessoas más todas são más não! Existem muitas pessoas de bom coração no mundo!!!! Deus te quer sorrindo!!!

  2. Oh, Nandinha do meu coração.Encontre o meio termo.Acredite, você é capaz!
    Te adoro!
    E tu precisa de um abraço meu.
    Tipo: já!!!

  3. Débora,
    É bom saber que existem pessoas como você, é isso que ajuda e até salva.
    Não tem mistério não para ajudar, basta amizade e carinho e o apoio e eu que tenho sei que cobrar nunca ajuda…
    Só temos que ficar atentos por que existe sim pessoas com depressão mais grave que a minha e que não percebemos sequer os sintomas e essas são as mais perigosas, elas podem se matar sem que a gente nem suspeite, por isso mesmo é tão importante e essencial nunca abondar pessoas assim, nunca as deixar só e é isso, você já está ajudando, já faz muito por se importar viu.
    Muito obrigada pelas suas palavras,
    Bom feriado pra ti e volte sempre.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *